Pensamentos | 26 aninhos ♥ E uma crise existencial

Oi, gente!

Não vou mentir. Pensei em fazer um texto bem elaborado falando 26 coisas que aprendi em 26 anos, mas me deu preguiça. Então, vou compartilhar um texto que deve ser conhecido por muitos de vocês, mas que representa muito do que estou vivendo nesse momento. 

Mas, não levem pelo lado ruim. Não é ruim envelhecer, muito menos perceber tudo o que está acontecendo. Essa é apenas mais uma fase da minha vida.

Mas, não dá pra negar que até pouco tempo atrás eu tinha impressão que nada que acontecia ao meu redor me afetaria. Depressão, ansiedade, bipolaridade? Só rico tem isso. Dengue, DST's, HIV? Só os outros não se cuidam. Dirigir alcoolizado/drogado? Quanto irresponsabilidade.
Não que todos os casos acima me afetem - nesse momento. Mas, antes tudo parecia muito mais distante de acontecer comigo, entende?

"Até que eu cheguei aos 26. E a vida bateu. E foi forte. Porque aos 26 anos, a gente já está mais perto dos 30 do que dos 20. Aos 26, há amigos casando, amigos tendo filhos, amigos se separando. Há de tudo. Mas desamparo é o que mais há. Porque aos 26, bom é só o passado. De resto, é tudo marromeno – especialmente o trabalho. E muito embora o mundo esteja cheio de coachs que vieram de fábrica com apenas duas palavras programadas na memória – “gratidão” e “luz” – e que vivem dizendo que nunca é tarde para recomeçar, aos 26 é tarde. E cedo ao mesmo tempo. Tarde porque alguns pares de anos já foram para o lixo desde que a gente se formou numa profissão bizarra que não tem nada a ver com a gente. E talvez um pouco cedo para não insistir mais um pouquinho e, finalmente, se encontrar – vai que é uma questão de entrar na empresa certa? Tarde porque a nossa disposição pra botar a mochila nas costas e sair pelo mundo aguentando perrengues não é mais a mesma que a gente tinha aos 20. E cedo porque essa disposição é, certamente, maior do que a que a gente vai ter aos 35. Tarde porque a gente já construiu laços que nos fazem ficar. E cedo porque esses laços, muito provavelmente, ainda não viraram nós." - Grotti, Bruna

 É isso!
Que comece mais um ano incrível na minha vida.
O texto é triste, mas estou imensamente feliz.

Até breve,
Fran Scandolara 

Queridinhas dos Seguidores

Filme | Extraordinário

Minimalismo | Eu sou minimalista?

Economizando | Como anotar todos os gastos me ajudou