Pensamentos | Sobre TER que ser mãe...

Oi, gente!


Estamos em 2.017 e ainda temos que viver uma cobrança da sociedade que vem enraizada de muitos anos atrás, acredito que desde o começo dos tempos: quando você vai ser mãe? Para algumas pessoas a mulher ainda tem um destino único na terra: casar - ter filhos - cuidar da família.
Com tantas conquistas que nós mulheres obtivemos no decorrer dos anos, ainda é muito difícil conseguir escapar do padrão da expectativa pela maternidade alheia. 
Quantas vezes, nós mesmas, olhamos com pena para um casal que não tem filhos e criticamos aquelas mulheres que falam abertamente que não querem tê-los? 
É preciso abrir a mente e entender que assim como existem mulheres que se realizam sendo mães, tantas outras encaram a maternidade apenas como parte da vida e ainda outras apenas não desejam vivê-la. E não cabe a ninguém decidir isso, a não ser elas mesmas. Com tantas oportunidades colocadas a nossa frente, com a possibilidade de liberdade cada vez mais iminente, ser mãe é uma decisão cada vez mais delicada a ser tomada.
Percebo na minha geração, um desejo crescente de realização pessoal atrelado ao sucesso profissional, onde uma maternidade/família acaba ficando em segundo, terceiro, quarto plano. As mulheres estão tendo filhos cada vez mais tarde e buscando parceiros de vida que dividam os afazeres domésticos e a educação das crianças.


Além disso, a partir do momento em que começamos a entender que a maternidade não é uma sina das mulheres, podemos perceber um planejamento maior quanto a maternidade. É possível planejar quando e quantos filhos queremos ter, bem como analisar quais serão as possibilidades de proporcionar aos filhos uma boa educação, qualidade de vida, etc.
Não tenho dúvidas de que ser mãe deve ser uma sensação única e inexplicável, assim como também sei que junto com a maternidade é necessário encarar uma série de responsabilidades e privações. Por isso a decisão deve ser única e exclusivamente da mulher.


Até breve,
Fran Scandolara


Você também pode gostar desses posts 

Minimalismo | Desafio Pessoal: 14 peças, 14 dias


Oi, gente!



No começo do mês postei no meu instagram que estava começando um desafio pessoal. 
Basicamente queria tentar ficar 14 dias usando apenas 14 peças de roupas e sapatos. Hoje venho contar e mostrar um pouco do desafio para vocês. 
Alguns dias eu esqueci de tirar foto, mas lembro alguns dos looks que fiz.
Peças que utilizei
  1. Blusa Preta com Aplicação de Pérolas
  2. Camisa Cinza com Manga 3/4
  3. Camisa Preta com Manga 3/4
  4. Blusa de Poá
  5. Blusa de Onça
  6. Blusa Estampada
  7. Calça Preta Reta
  8. Calça Jeans Lavagem "Azul"
  9. Calça Jeans Lavagem Cinza
  10. Tênis Branco
  11. Sapatilha Cinza
  12. Sapatilha Preta
  13. Sapatilha Onça
  14. Casaco Preto Moletom 


Alguns looks que aconteceram

Amei o resultado com a calça preta <3

Amei o resultado com a calça jeans <3

Amei as duas opções <3

Essa blusa utilizei também com a calça jeans "azul" / Amei o resultado com a calça preta <3


Essa blusa utilizei também com a calça jeans "azul" / Amei o resultado com a calça preta <3

Essa blusa utilizei também com a calça jeans azul e a calça preta / Amei todos os looks <3

Minhas considerações

  • Como não tinha me planejado muito bem, algumas blusas acabei utilizando numa frequência muito próxima, sendo que conseguiria ter tido um espaço de tempo maior entre elas.
  • Não precisava de 4 calçados, 3 teriam sido mais do que suficientes.
  • Preciso tomar uma decisão sobre a calça cinza: cortar e deixar no estilo "cigarrete" ou então deixar ela mais "skinny", porque essa modelagem dela me deixava completamente infeliz em saber que teria que usá-la.
  • Amo meu tênis branco kkkk
Se deu certo? Sim. Aliás, tão certo que resolvi me desafiar mais uma vez:
 Desafio Pessoal: 15 peças, 30 dias
Gostaria de convidar a todos a participar também e utilizarem a #sobrecadamomento nos posts.
Além disso, gostaria da opinião de vocês: faço posts diários, semanais ou apenas no final do desafio?
Até breve,
Fran Scandolara
  
Você também pode gostar desses posts aquiaqui.

Minimalismo | Motivos inspiradores para iniciar um Declutter / Destralhe


Oi, gente!

Acho que ainda não tinha usado essa palavra aqui no blog: DECLUTTER... Gosto de deixar tudo o mais "abrasileirado" possível, então eu falo DESTRALHE mesmo. Mas sobre a primeira palavra, clutter significa, basicamente, todo tipo de tralha. Dessa forma, declutter seria a ação de se livrar delas. Doar objetos que não são mais úteis para gente, que ficam ali ocupando aquele espaço, e o mais importante, nosso precioso tempo.
Agora que todos estamos conscientes do significado da palavra, vamos ao objetivo do post: 


  1.  Qual o valor do metro quadrado de onde você mora? É, não sei se você já parou para pensar, mas se vive em um imóvel alugadol, cada metro quadrado a mais que precisou ser lembrado na hora de alugar seu lar para caber tudo o que você tem, acaba tendo um custo. O mesmo vale para se você tem um imóvel próprio. Imagine só quanto dinheiro você teria economizado se tivesse só o que você realmente precisa para viver?
  2.   E aquele desânimo que bate quando levantamos de manhã e olhamos para uma escrivaninha cheia de papeis, um sofá com 549 peças de roupas para passar/guardar e a mesinha de centro cheia de objetos fora do lugar? Pois é, quando temos coisas demais, também temos muitas coisas para organizar e sempre acabamos por escolher algo para fazer depois, o que acaba acumulando tarefas e nos dando a sensação de dever não cumprido. 
  3. Móveis e superfícies vazias e livres de tralhas são muito mais fáceis de limpar e de que continuem limpas. Nem vou justificar...
  4.  Imagine um guarda-roupa só com o que você realmente usa. Seria incrível, né? Além de ser visualmente mais fácil, você irá perceber como o seu dilema com o "não tenho nada para vestir" irá pouco a pouco acabar. Conhecendo bem suas peças favoritas e sabendo o quanto ama o caimento delas no seu corpo, elas serão muito melhores aproveitadas e você, de quebra, vai saber definir qual o seu estilo.
  5.  Quando nos livramos do desnecessário descobrimos alguns itens necessários que por algum motivo não são mais úteis por estarem velhos ou quebrados. Um bom exemplo, são as roupas. Quando temos que nos desfazer de alguma peça que não nos serve mais ou não tem mais nada a ver com o nosso estilo, temos a oportunidade de adquirir um novo que realmente nos sirva e que tenha a ver com nossa vida atual e não que seja mais uma peça que está lá entulhando a gaveta.
  6.  Aprender a doar. Durante o destralhe acabamos doando alguns objetos que para nós não tem mais nenhum significado, mas que para uma outra pessoa talvez tenha muito.
Ao final do declutter/destralhe você vai perceber o quanto a vida pode ser leve e o quanto isso é importante. Em meio à uma sociedade consumista onde o TER tem um peso enorme, viver apenas com o que te faz feliz é recompensador.

Até breve,
Fran Scandolara


Talvez você também se interesse por esses posts aqui e aqui 

Viagem | Maceió - Dia 7 - São Miguel dos Milagres

Oi, gente!


Chegamos ao sétimo dia de viagem. Tínhamos comprado um passeio para Paripueira, porém conversando com os guias e pessoas que moram lá, fomos informados que por conta da lua, maré e etc, os passeios desse local iriam acabar não acontecendo... E como eu sempre indiquei São Miguel dos Milagres para os meus clientes, decidi ir para lá, pois nas fotos parecia ser bem bonito.
E não fui desapontada. 


Um lugar D-E-S-E-R-T-O! Só tinha os passageiros do nosso ônibus, o que deixa tudo muito tranquilo. Uma liberdade maior para ir dar um mergulho sem preocupação com bolsa, etc.
Quando chegamos, por volta das 09h da manhã, era necessário caminhar um trecho bastante longo de areia para conseguir chegar até o mar. Águas totalmente transparentes. Lindo de ser ver!
Na hora que fomos embora, a maré já tinha subido bastante. O que vai ficar mais visível com a foto abaixo:

A rede foi completamente coberta pelo mar...

Compramos um passeio de jangada enquanto a maré ainda estava baixa e fomos levados para as piscinas naturais. Vimos muuuuitos peixinhos coloridos, grandes, pequenos. Foi incrível.


Terminamos o dia tomando uma cervejinha beira mar para relaxar.


Saímos de lá às 15h e descemos direto na Feirinha de Artesanato para comprar as lembrancinhas.
Depois de comprar tudo o que precisávamos, comemos um pastel e fomos caminhando pela orla até o hotel.
Depois chegou a pior hora, né? Arrumar as malas kkk Difícil foi fechar!

Clicando aqui você pode ver todos os posts da viagem ou clique aqui para ver o que fiz no oitavo dia de viagem.

Até breve,
Fran Scandolara

Viagem | Maceió - Dia 6 - Hibiscus, Praia de Ipioca

Oi gente!


Chegamos ao sexto dia da nossa viagem. 
Juro que não esperava muito desse lugar. Uma cliente tinha me falado que tinha sido o passeio que ela mais havia gostado, porém não me entusiasmou tanto...

Chegando lá já fiquei apaixonada pelo lugar! Ficamos em um Condomínio chamado Hibiscus Beach Club. Uma estrutura maravilhosa, com piscina, muitas cadeiras, colchões, espreguiçadeiras. 
O preço do day use é R$ 30,00. Já os preços lá dentro estão dentro do que já estávamos pagando o tempo todo, rs 


Fizemos um passeio de lancha até as piscinas naturais (R$ 50,00 por pessoa). Muito gostoso, porém não conseguimos ver peixinhos, nem nada. Mas, valeu muito a pena a experiência.


Atenção para a cor dessa água. <3 Por isso fiquei tão encantada. O que não encontrei em Maragogi no dia anterior acabei encontrando por lá.

Esse é um dos passeios em Maceió que eu indico sem dúvida alguma. Especialmente se você estiver com crianças, tem uma piscina excelente para elas.



Fomos embora às 15h30 direto para o hotel. Decidimos ir ao shopping da cidade. Chamamos um Uber que nos cobrou R$ 10,00 para o trajeto de ida. Comemos um MC (porque somos filhos de Deus kkk) e resolvemos assistir algum filme no cinema. 
No horário que chegamos conseguimos entrar bem no comecinho do filme A Múmia - falei mais sobre ele aqui! 
Após o filme, tentei fazer minha internet funcionar para chamar o Uber de novo, mas não funcionou... Então voltamos de táxi. Um motorista muito simpático - já o preço foi de R$ 18,00.

Clicando aqui você pode ver todos os posts da viagem ou clique aqui para ver o que fiz no sexto dia de viagem.

Até breve,
Fran Scandolara


Viagem | Maceió - Dia 5 - Maragogi

Oi, gente!


O quinto dia da minha viagem era para realizar um sonho meu: conhecer Maragogi ♥
E lá fomos nós! Acordamos às cinco da manhã e às seis e meia o traslado passou no hotel. Foram 3 horas até nossa chegada lá.

Ficamos no Pontal do Maragogi, que oferece uma ótima estrutura para a viagem: piscinas, restaurante, redes, cadeiras e mesas na praia, espreguiçadeiras. Maravilhoso!


Compramos um passeio de buggy achando que iríamos pela praia, mas ficamos sabendo já no caminho que uma lei ambiental proibia qualquer veículo motorizado de passar nas praias.




Sendo assim, visitamos 3 praias próximas dali. Todas muito lindas.
Porém, aquele sonho do mar azul que sempre vi nas fotos, foi realizado apenas em uma das praias. Nosso guia informou que no inverno as águas ficam mais escuras mesmo...

ENCONTREI UMA AMIGUINHA NO CAMINHO DO BUGGY




Terminando o passeio de buggy nós almoçamos, o mesmo precinho de sempre, rs Mas a comida muito saborosa. Como as ondas já estavam mais fortes após o almoço, aproveitamos para ficar na piscina.

A noite, fomos no Barrica's na orla de Ponta Verde. Muito bom atendimento, comida ótima e cerveja gelada.

Clicando aqui você pode ver todos os posts da viagem ou clique aqui para ver o que fiz no sexto dia de viagem.

Até breve,
Fran Scandolara

Viagem | Maceió - Dia 4 - Duas Barras, Dunas de Marapé - Bairro das Rendeiras

Oi, gente!


Continuando nossa viagem, no quarto dia fomos conhecer Duas Barras, Dunas de Marapé. Parecia que ia ser mais um dia de chuva, mas chegando ao lugar o sol apareceu lindo e esplendoroso.


Esse passeio me surpreendeu, não esperava que fosse tão bonito. O lugar é banhado de um lado por rio e do outro pelo mar. A estrutura é muito boa. A foto acima é antes da maré subir. No final da tarde só conseguimos passar de barco por esse lugar.
Chegando lá compramos um passeio de pau de arara - que foi adquirido da segunda guerra. Fomos até a cidade de Jequiá da Praia. A cidade tem apenas 11 mil habitantes e uma curiosidade: segundo o nosso guia (Gilmar, excelente!), colocaram um anticoncepcional na praça. Uma televisão kkk. A noite eles ligam a tv e a mulherada se junta para assistir as novelas. 


Depois do pequeno passeio pela cidade, fomos através de umas estradinhas entre os coqueiros até um paraíso praticamente não descoberto ainda. Pena que a parada foi curta. 



Saindo desse paraíso fomos até uma venda ao lado do rio para degustação de cachaças artesanais. Eu já aproveitei e entrei um pouquinho também, porque o calor tava demais.
Em seguida, voltamos para o complexo Dunas de Marapé. O almoço era a vontade e a comida muito boa.
Aproveitamos o final da tarde no lado banhado pelo rio.

Saindo de lá, passamos pelo bairro das rendeiras que nada mais é que um aglomerado de lojas com tudo o que você puder imaginar de redes, toalhas, etc. Preços muito bons comparados com os da feirinha de artesanato. 

Chegamos no hotel e fizemos mais uma fez pedido pelo IFood, dessa vez no Garagem Burguer. Excelente atendimento e entrega muito rápido. Foi o melhor dos três pedidos que fizemos.


Clicando aqui você pode ver todos os posts da viagem ou clique aqui para ver o que fiz no quinto dia de viagem.
Até breve,
Fran Scandolara

Viagem | Maceió - Dia 3 - Praia do Gunga

Oi, gente! 



Nosso terceiro dia de viagem também começou bem cedinho. Seis da manhã em pé, mesmo esquema do dia anterior: tomar banho, tomar café e esperar o traslado passar.

Hoje era dia de Praia do Gunga - eleita 7 vezes a praia mais linda do Brasil. Só que nesse dia o sol não tava afim de aparecer.
Pegamos o barco já com um pouco de chuva. O sol começou a aparecer, mas não deu mesmo... Não teve como fazer nenhum dos passeios opcionais então ficamos pela praia mesmo. 

PRAIA DO GUNGA
 
O lado em que a água é do mar, tem ondas muito fortes. Não vou conseguir explicar direito, mas mal a areia termina e o mar já está praticamente no seu joelho, porque é inclinado mesmo. Andamos um pouco na areia e depois almoçamos. Comida boa, mas não tão bem servida.
Depois do almoço, fomos para o outro lado em que a água é do rio. Muito gostoso e bem calmo. Ficamos por ali o resto da tarde. 

PRAIA DO GUNGA
Saímos de lá às 3h30. Como chegamos cedo no hotel, resolvemos comer fora. Fomos até a Espeto Grill, que ficava a 5 minutos a pé do hotel.
Bom, era um rodízio de carnes, então tinha bastante comida. Mas, para quem é de São Paulo e está acostumado com um milhão de cortes de carne, lá a variedade é bem pequena. Mas foi uma boa janta.

Saindo de lá, passamos por um supermercado (unicompras) e pegamos umas coisinhas para deixar o frigobar do hotel - inclusive foi o pessoal da recepção que sugeriu, o que achei muito legal.

Clicando aqui você pode ver todos os posts da viagem ou clique aqui para ver o que fiz no quarto dia de viagem.

Até breve,
Fran Scandolara

Viagem | Maceió - Dia 2 - Praia do Francês e Feirinha de Artesanato

Oi, gente!



Voltando ao diário de viagem, no segundo dia acordamos cedinho - cedinho meesmo, às 6 da manhã - nos arrumamos, tomamos café e às 07h40 o pessoal do traslado foi nos pegar no hotel. Após os passageiros dos outros hotéis também embarcarem, partimos para o centro da cidade, fazendo um city tour. Muito bonito o passeio, porém como é panorâmico não dá para conhecer realmente os lugares.
Se você é um amante de arquitetura, com certeza, vai querer voltar outros dias para visitar mais de perto os lugares mostrados no city tour.

PARADA PARA FOTO NO MIRANTE

Após o city tour fomos conhecer a Praia do Francês e então o sol resolveu ser nosso amigo!
Ficamos na Barraca Beleza Tropical. Ótimo atendimento, comida muito bem servida para dois. Mas já estávamos conformados com o preço caro da cerveja, rs. Mas esse não é o maior problema de lá.

VISTA DA BARRACA BELEZA TROPICAL


NOSSO ALMOÇO DO DIA

Ambulantes. Por todos os lados. Passando uma, duas, três, mil vezes te oferecendo as coisas. Tinha lido algumas reclamações a respeito, mas imaginei que fosse exagero. Não é.
Se prepare para ficar pobre ou para exercitar bastante o "não, obrigada".

EU <3 FRANCÊS

Ficamos na praia até às 14h30. Saindo de lá nosso ônibus fez uma parada rápida para reconhecimento da Feirinha de Pajuçara. Realmente apenas para reconhecimento, pois é bem grande. São muitas opções iguais em lojas diferentes, então é bom dar uma pesquisada nos preços, pois em um lugar o mesmo produto pode estar R$ 10 e no outro quase do lado por R$ 5.

Chegamos no hotel e a preguiça bateu de novo. Acabamos pedindo no IFood mais uma vez. Dessa vez Habib's. Chegou muito rápido. Excelente.

Clicando aqui você pode ver todos os posts da viagem ou clique aqui para ver o que fiz no terceiro dia de viagem.

Até breve,
Fran Scandolara