O que "13 reasons why" vem nos reafirmar?

Oi, gente!
No dia 31 de março estreou a série original da Netflix "13 reasons why", em português "13 porquês".
Resolvi me render e o resultado foi uma temporada em 2 dias, rs



Sobre a série: Hannah Baker é uma adolescente que cometeu suicídio e deixou uma caixa com 13 fitas (daquelas de rádio, bem antigas) e um mapa para 13 pessoas que ela considera terem interferido de maneira direta na sua decisão de cometer o ato. A série mostra quando as fitas chegam a Clay e vai nos ambientando em todas as reações que ele tem ao descobrir os motivos.

Minhas considerações: bom, levando em conta que eu assisti a série em dois dias, posso dizer que gostei bastante da série. Ela aborda assuntos sérios do universo adolescente e de uma maneira também séria, sem menosprezar os sentimentos e minimizar a importância das cenas que estão acontecendo. 
É uma temática bastante atual, mas que também vai fazer sentido se você, como eu, já não está no ensino médio há algum tempo, rs. São dramas que hoje em dia, olhando de fora, parecem bobos, mas que quando estamos passando por essa fase fazem todo sentido. 

Pensando em tudo que a história passou (e torcendo para que a 2ª temporada chegue logo), resolvi escrever esse post com alguns pensamentos que a série veio nos reafirmar. Vamos lá então:

  • Não ajude a espalhar fotos íntimas. Não é só quando estamos em fase escolar, não. Quantas vezes chegam até nós fotos de outras pessoas, em situações constrangedoras, não necessariamente nuas, mas de maneiras que também não gostaríamos que estivéssemos expostos. Não passe adiante. Simplesmente apague e diga para quem enviou que você não gostaria de receber esse tipo de conteúdo.
  • Não rotule as pessoas. Mesmo quando for um "rótulo bom". Rotular é algo que não faz nenhum sentido. Como pode uma pessoa ser qualificada por apenas uma característica? As pessoas são conjuntos de características e nem sempre o que é um elogio para você é um elogio para a outra pessoa. 
  • Não faça nada por pressão dos amigos. Muitas vezes estamos em um círculo de amigos e a convivência acaba nos fazendo tomar decisões bobas para parecermos ainda mais "da turma". Bobagem. Quem vai gostar de você, vai gostar como você é. Você não precisa se reafirmar para ninguém.
  • Não pratique o bullying. Isso parece tão óbvio, né? Mas, pensando consigo lembrar inúmeras vezes em que grande parte dos alunos da minha sala, inclusive eu, caíram matando em cima de algo que outro aluno fez. Na época, não parecia nada demais. Afinal, eu nunca sofri um bullying pesado. Mas, tenho certeza que a pessoa que recebia a enxurrada de críticas, com ou sem motivo, deve ter ficado muito abalada na época.
  • Abuso é abuso. Não tente minimizar esse ato. Esconder, fingir que não aconteceu. Pode ser abuso físico ou psicológico, é abuso e isso não deve acontecer com você. Conte para seus pais, para seus amigos, para responsáveis. Conte!
  • Drama familiar. Acredite: não existe família 100% perfeita. Infelizmente, vivemos em um mundo de aparências, onde a grama do outro sempre parece mais verde que a nossa. Mas, isso porque só nos mostram o que querem que a gente veja. Todos vamos passar por desentendimentos e incompreensões dentro de casa, mas na maioria das vezes, isso passa. 
  • Tente não julgar. Digo tente, porque é bastante difícil. Mas, muitas vezes pensamos, quando não dizemos, algo sobre alguma pessoa e não sabemos o que ela está passando verdadeiramente.
E, é claro, que nas entrelinhas da série temos muitas outras reafirmações. Então, se você ainda não assistiu, recomendo fortemente que assista. Não espere cenas cômicas, porque são bastante raras. É uma série intensa, profunda e cheia de problemas que precisamos enfrentar. 
Ps: o último capítulo poderia ter sido melhor explorado, mas ainda assim, vale a pena assistir.

E você? Já assistiu? O que achou? O que a série te mostrou?


Até breve,
Fran Scandolara

Queridinhas dos Seguidores

Os 7 R's da Moda Sustentável

Minha descoberta na loja Toque a Campainha

Alongamento de cílios: eu testei e conto tudo aqui