26 | Não conte para a mamãe - Toni Maguire

Oi, gente!
Hoje resolvi fazer uma resenha sobre um livro que li. Durante a resenha, posso dar alguns spoilers, mas será importante para o entendimento.




Título: Não conte para a mamãe - Memórias de uma infância perdida
Editora: Bertrand Brasil
Autora: Toni Maguire

Sinopse:   A frase que dá título ao livro de Toni Maguire, Não conte para a mamãe, poderia ser uma pacto ingênuo entre dois irmãos ou uma brincadeira entre crianças. Infelizmente, não é o caso. Na verdade, é a ameaça sofrida pela autora durante os quase dez anos em que foi violentada pelo próprio pai. Quando aconteceu pela primeira vez, a pequena e inocente Antoniette tinha apenas seis anos. Apesar da tenra idade, tudo ficou gravado em sua memória, o tempo nada dissipou: os detalhes, os sentimentos, a dor. Foi a primeira de muitas, incontáveis vezes. Não conte para a mamãe, de Toni Maguire, desvela a comovente história de uma infância idílica que mascarava uma terrível verdade.
*******************************************************************************************************************

É difícil saber como começar a falar desse livro.
É um assunto muito polêmico, angustiante e ele não demora a aparecer - lá pela página 30 já acontece o primeiro relato de abuso.
Precisamos primeiro nos ambientar lendo esse livro, pois apesar de ser um assunto ainda (infelizmente) bastante atual, o abuso de Toni acontece na década de 50, quando as pessoas ainda não eram tão preparadas para tal assunto, não havendo assim Conselho Tutelar, nem professores capacitados para perceber os pequenos sinais (não tão pequenos) que nós mesmos conseguimos perceber no decorrer do livro.
Um outro fato importante, que algumas pessoas demoram a perceber, é que a autora do livro foi quem recebeu todos os abusos. Ou seja, essa é uma história real.
Nesse livro encontramos três personalidades: o pai abusivo, a mãe permissiva e a filha sofredora.

A história começa com Toni chegando ao hospital onde sua mãe Ruth está internada nos últimos dias de vida. Ela é a única pessoa que está acompanhando a mãe. Seu pai aparece para visitas nada frequentes, inclusive no dia da morte de Ruth, ele sequer aparece para se despedir - prefere ficar na esbórnia com os amigos.
É no hospital que Toni começa a ter de volta as lembranças dos abusos e negligências que sofreu durante praticamente 10 anos, e que na fase adulta da vida havia bloqueado.
Assim, descobrimos que Antoniette - a Toni - foi uma criança feliz até os seus seis anos, época em que vivia apenas com a mãe e a avó inglesa na Inglaterra, tendo visitas esporádicas do pai que servia ao exército e, portanto, não convivia com elas. Quando o seu pai recebe a dispensa e volta a morar com elas, conseguimos perceber aos poucos o quanto essa mãe é apaixonada por ele e dedica toda sua atenção para tal.
Eles se mudam para Irlanda do Norte para morar próximo aos familiares deles. A partir desse momento percebemos que o pai é uma pessoa inconstante com diversas mudanças de humor, sendo descrito por ela como pai bondoso e pai malvado. A princípio ele desconta sua raiva colocando-a de castigo por motivos bobos e algumas vezes até batendo nela. Diversas vezes durante o livro ele faz algumas armações para que a mãe fique brava com a filha, fragilizando ainda mais a pequena Toni.
Durante o livro todo percebemos a necessidade que a pequena Toni tem em agradar e ser amada por sua mãe. Aí que o abuso piora todo o psicológico da pequena. Quando o pai a beija pela primeira vez e pede para que não conte para a mamãe, ele aproveita para afirmar que se contar a mãe não vai mais gostar dela e as outras pessoas também não. Mesmo diante dessa "ameaça", Toni conta para sua mãe que apenas a olha e diz para nunca mais tocar nesse assunto.
Logo começam os passeios de camionete com o pai e ali os abusos passam a ser sexuais. É terrível toda vez ler os relatos e lembrar que ela era uma CRIANÇA! A mãe, em momento algum questiona os passeios.
À partir desse momento começamos a perceber a mudança da mãe com a filha. Toni é tirada da escola que amava e enviada para uma escola que fica à 6km de onde mora e que precisa ir a pé todos os dias. A mãe para de cuidar de sua filha: roupas, cabelos... A criança parece não ter os pais, diante de tanto desmazelo.
Para nós leitores é bastante perceptível o marco entre antes e depois dos abusos.
A mãe vive em um mundo de fantasias, onde sua família é perfeita e para isso parece se manter alheia aos abusos da filha. Aliás, fica claro que ela disputa o amor do marido com a filha à partir do momento em que ela negligência os cuidados com a filha, para que o marido não tenha mais interesse por ela. Ela parece simplesmente esquecer que são mãe e filha.
Os abusos de Toni só param depois que ela descobre que está grávida e sua mãe providencia um aborto para ela. O aborto acontece, mas quando já está em casa começa a ter muito sangramento e ao chamar a ambulância a mãe podendo optar entre dois hospitais, escolhe o hospital mais distante, mesmo sabendo que a filha pode morrer devido ao sangramento.
À partir daí, resumidamente, o pai é denunciado por uma amiga de Toni e é condenado à prisão. Mas o inferno de Toni ainda continua ao perceber que o pai tinha razão sobre ninguém mais gostar dela. Todos se voltam contra a menina, agora adolescente, é expulsa da escola, deixando para trás seu sonho de fazer faculdade. Ela não é tratada como vítima, pelo contrário, as pessoas afirmam que ela queria, que compactuava pois não ficaria levando essa vida durante tanto tempo. Em nenhum momento as pessoas questionaram a atitude dos pais.
Li esse livro em três dias. A leitura é bastante fluída, mas atribuo a rápida leitura pelo fato de ele ser tão angustiante que não queria ficar presa a história por muito mais tempo.
Me fez pensar e, muito, não apenas nos casos de pedofilia, mas nos casos de abuso em geral, pois apesar de ser uma história acontecida na década de 50 ela ainda é muito presente nos dias atuais. 
Precisamos aprender cada dia mais a nos colocar no lugar da vítima e ajudá-la de qualquer forma. 






Sobre este livro: ♥ 

Até breve,
Fran Scandolara

57 comentários:

  1. NOSSA GOSTEI MT DO POST VIM PRA TE SEGUIR E ACABEI ME DEPARANDO COM ESSE POST QUE INFELIZMENTE E A REALIDADE DE MTS CRIANÇAS

    ResponderExcluir
  2. Que resenha sensacional! Devo dizer que estou feliz por ver que a literatura está abrindo espaços para temas ainda tão tabus. Como você disse, infelizmente essa realidade ainda é vivida por muitos em nosso país e isso é terrivelmente assustador... Parabéns por resenhar tão bela história, apesar de todo sofrimento infringido nela.

    https://passageirodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dayanne
      Que bom que gostou!
      Realmente, esses temas atingindo aos mais jovens de maneira tão crua, acabam nos tornando pessoas mais conscientes.

      Beijos!

      Excluir
  3. É triste ver que essa é ainda a realidade de muitos, principalmente crianças. É necessária a quebra de tabus, para que mais pessoas possam ter acesso a conteúdos como esse. É uma dura realidade que ainda precisa ser mudada.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, esse tema me chocou muito, especialmente por relatar o sofrimento da criança.

      Beijos!

      Excluir
  4. Que resenha maravilhosa , um tema que até hoje ainda existe na atualidade que deve ser discutido , infâncias perdidas por monstros que não tem a mínima consciência do que está fazendo com uma vida que ainda tem muito pela frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rilza,
      É muito triste mesmo, especialmente, quando paramos para pensar que algumas pessoas sofrem por isso ao nosso lado e não tem coragem de nos contar...

      Beijos!

      Excluir
  5. Olá, o livro parece ser bastante forte, o assunto relatado vem sendo muito comuns em livros, filmes e séries! Queria que todos pudessem ter a oportunidade de ler!
    http://my1life2in3books.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nath
      Realmente, é necessário ter estômago para ler os relatos.

      Excluir
  6. Nossa de verdade amei a sua resenha, realmente os abusos ainda persiste estar em nosso meio atual, não curto esse tipo de leitura por ser como você descreveu angustiante mas me despertou um interesse de adquiri-lá. Parabéns pelo blog e mais uma vez pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafa,
      Muito obrigada!

      É um livro que eu indico apesar de toda a carga emocional...

      Beijos!

      Excluir
  7. Gostei muito da sua resenha.. Pretendo ler o livro assim que possível.. Parabens pelo blog

    ResponderExcluir
  8. Nossa bem forte, mas infelizmente é uma realidade. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  9. Esse livro tem uma carga emocional muito pesada, não consegui concluir a leitura.. mas um dia voltarei. Sua resenha ficou excelente, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns livros precisamos parar e ler em outro momento mesmo.
      Espero que volte a ler.

      Beijos!

      Excluir
  10. Já tinha ouvido falar deste livro e sempre tive muita vontade de ler! Acho muito importante ter livros que mostrem a realidade que não é comentada com muita frequência.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafa
      Que bom que gostou da resenha.

      Indico muito esse livro, se tiver oportunidade de ler, faça-o.

      Beijos!

      Excluir
  11. Oi, tudo bem?
    Já tinha ouvido falar sobre esse livro, mas, apesar de ser uma temática importante, não pretendo ler. Imagino o quanto essa leitura deve ser angustiante e revoltante. Acho que é preciso ter estômago muito forte para aguentar ler esses relatos, ainda mais sabendo que isso infelizmente ainda acontece com muitas pessoas.
    De qualquer forma, sua resenha ficou ótima!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Malu
      Realmente, é uma leitura pesada e difícil, mas recomendo muito.
      Mais para frente se tiver oportunidade, leia.

      Beijos!

      Excluir
  12. Li esse livro já faz um tempo e foi muito chocante. Ao mesmo tempo que foi um livro angustiante, a autora escreve de uma forma muito bonita. Depois de concluir essa leitura fiquei um bom tempo sem conseguir ler nada. Adorei a resenha!!
    O Canto do Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thainá
      Estou passando por uma ressaca literária depois desse livro.
      Ainda não consegui digerir completamente a história.

      Beijos!

      Excluir
  13. Oi eu já ouvir falar desse livro bastante so que eu nunca tive oportunidade de ler,sempre estou lendo outros!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jack
      Quando tiver oportunidade, leia. É uma ótima leitura.

      Beijos!

      Excluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Acho que não tenho psicológico para ler um livro desses, só de ler sua resenha já fiquei angustiada e o pior é saber que muitas garotas passam por coisas parecidas todos os dias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andy
      Alguns livros devem ser lidos em certos momentos da vida. Quem sabe mais para frente você consiga.

      Beijos!

      Excluir
  16. Que triste realidade. deu até vontade de chorar, sou muito emotivo e ver crianças passando por isso me dói o coração. Sua resenha ficou sensacional, me arrancou suspiros, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Frank,
      Que bom que gostou da resenha.

      Realmente é uma situação muito triste.
      Fiquei mal durante muitos trechos da leitura.

      Excluir
  17. De todas as dicas que li sobre livros confesso que esse foi o que mais me surpreendeu! Já tô buscando na Amazon pra ler...Parabéns pela Resenha!

    ResponderExcluir
  18. Acho que esse livro deve ser bem pesado. Toda vez que leio algo sobre abuso de crianças fico mal. Não dá para aceitar.
    Muito boa a resenha!
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  19. Nossa gostei demais de sua resenha, não sei se tenho forças para ler sobre um tema tão difícil. O abuso já bem polêmico tratando-se de crianças pior ainda. Vou procurar para ler, porque concordo temos que pensar como a vítima, para nos conscientizar.
    Parabéns Excelente resenha.

    ResponderExcluir
  20. Por um ínfimo instante pensei que era "Não conte a ninguém" do Harlan Coben. Um gênio da literatura! Esse também me deixou curioso. Mote cinematográfico, claro! Eu adoro livros assim. Sua resenha é bastante própria... De quem realmente devorou o livro. Gosto quando os personagens vão para lugares inusitados e menos óbvios... Irlanda é ótimo! Adoro isso. Provoca no leitor uma descoberta nova, lugares com os quais ele não está acostumado! É uma trama muito bem construída ao que me parece. Você conduziu bem também suas descrições... Deixa a gente com vontade de ler! Adorei ver isso... Vou anotar o nome do livro aqui para procurar.

    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  21. Esse livro definitivamente não é para mim.
    Eu já o conheço e sei o quanto a obra mexe com o leitor. Eu não consigo ler nada parecido com isso, sei que essas monstruosidades acontecem com uma frequência absurda mas eu não tenho estrutura emocional para ler algo forte assim.

    ResponderExcluir
  22. Nossa, o livro parece realmente tratar do assunto sem romantizar. Parece interessante, mas seria uma espécie de gatilho pra mim, dependendo de como as coisas vão acontecendo.

    ResponderExcluir
  23. Uauu...que triste! Já tinha ouvido falar deste livro e agora ao ler sua resenha acho não teria coragem de lê-lo não, pois história de abusos já são dolorosas, e vindo de um pai que abusa da sua filha pequena é pior ainda. Eu terminei um ontem com este tema e meu coração ainda está destruído e agora lendo sobre este, só piorou. Preciso ler um romance água com açúcar para dar uma aliviada nele. Preciso respirar!😭

    ResponderExcluir
  24. Oi,
    Nossa, não consigo imaginar o quão difícil foi ler este livro. O tema, apesar de ser sério e passível de muita discussão, não é um tema fácil de se abordar em um livro. Tenho certeza que eu não conseguiria terminá-lo. A carga emocional é muito extrema. A menina tinha 6 anos meu Deus!!Coitada!!
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  25. Olá!
    Uau que livro intenso hein!
    Não conhecia e a temática me prendeu. Sua resenha me deixou com muita vontade de conhecer mais dessa trama. Adoro temas fortes e polêmicos. Confesso que fiquei com dó da criança, mas são essas experiências que nos levam a vários momentos de reflexão né.
    Beijos!
    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  26. Oii, tudo bem?
    Não conhecia a obra, achei bem interessante. Imagino ser uma leitura difícil, então, não leria agora por conta disso, já que estou procurando livros mais leves. Muito triste ter um pai que abusa da filha pequena, meu coração dói só de pensar nisso.
    Vou deixar passar a dica, talvez leia mais em breve.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  27. Um tema muito difícil de ser tratado, principalmente se passando em uma época tão complicada. Sem dúvida alguma iria xingar muito esses pais e chorar muito pela Toni durante a leitura. É muito angustiante ver que a história de Toni se repete em nossos dias de forma tão brutal, imagina o psicológico de uma adolescente que sofre tudo isso é ainda é tarjada de culpada? Meu Deus... Com certeza é um livro que precisa ser muito discutido. Espero poder ler essa obra algum dia. Beijos !

    ResponderExcluir
  28. Não conhecia o livro e quando você mencionou que é sobre abuso, me interessei. o título ilustra bem esse tipo de ação abusiva para com crianças. Você discorrendo sobre o livro, me fez recordar de Gênero, patriarcado e violência, de Heleieth Saffioti. Já leu?
    Gostei da indicação e vou ler, principalmente por se tratar da história da própria autora.

    ResponderExcluir
  29. Olá! Tenho visto alguns comentários positivos sobre a obra. É uma temática forte e emocionante. Já está anotada na lista de desejados. Muito boa sua resenha, parabéns! Espero ler em breve, bjo

    ResponderExcluir
  30. Chorei muito muito muito, como pode uma criança ser culpada, a vítima sair como o monstro? A mãe que era o porto seguro preferi o pai, meu Deus como eu chorei imaginando cada humilhação que ela passou, imaginando que ele saiu inpune e vitorioso, é que mesmo assim o amor dela pela mãe permaneceu intacto, pena que ela não recebeu o devido valor, é saber que essa história é realmente Real doi muito mais muito mais.

    ResponderExcluir
  31. Sua resenha ficou muito bacana!
    Já tinha visto a capa desse livro mas não sabia que se tratava de um assunto tão complexo, após saber do que se trata não sei se leria.

    Beijos

    ResponderExcluir
  32. Eu nem sei o que falar sobre esse livro, só de ler sua resenha fiquei angustiada, imagina lendo essa história sabendo que é baseada em fatos reais. Já está mais que anotada a sua dica. E parabéns por detalhar tão bem essa obra.

    ResponderExcluir
  33. Oiii Fran tudo bem?
    Eu realmente gostei muito da sua indicação da vez, não conhecia a obra e sei que seria uma ótima pedida, apesar do enredo bem triste e no qual me emocionaria, não deixaria essa dica passar.
    Abraços

    ResponderExcluir
  34. Eu não consigo ler esse tipo de livro, é gatilho pra mim :c até passo mal. Mas é um assunto que precisa ser dito e exposto também no mundo literário, pouco se fala sobre isso pelo ponto de vista da vítima.
    É mais pesado ainda por ser uma história real da autora :c

    Com amor,
    ♥ bruna-morgan.blogspot.com ♥

    ResponderExcluir
  35. Olá! Adorei a resenha. Acredito que um livro com essa tematica seja muito importante, ja que traduz a realidade de muitas crianças. Apesar do assunto pesado, fiquei interessada para ler!

    ResponderExcluir
  36. Eu gosto muito desses livros que relatam episódios da vida real, ainda que angustiantes e que nos fazem querer que ele acabe para não estar dentro do tema muito tempo. Dão que pensar! Beijo *

    thebrunettetofu.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  37. Já ouvi falar muito bem deste livro, e acredito que essa é uma temática que deve ser discutida afim de diminuir que coisas assim aconteça, até não acontecerem mais. Porém cada é livros essa é uma temática que eu prefiro evitar.

    ResponderExcluir
  38. Confesso que comecei a ler a resenha desse livro em outro blog e não consegui terminar. Abuso sexual de crianças é algo que me deixa muito triste e revoltada. Porém, consegui ler a sua resenha e não tem como não sentir certa angústia, ainda mais se tratando de uma história real. Não leria esse livro, mas acho que seria interessante para certas pessoas.
    Beijo, www.apenasleiteepimenta.com.br

    ResponderExcluir
  39. Wow nem sei bem o que dizer. Por um lado fiquei com imensa vontade de ler por outro sei que vou sentir-me muito angustiada e com um grande ódio desse pai e dessa mãe. Mas como também gosto deste tipo de literatura que retrata a vida real Vou colocar na minha wishlist.

    Beijo
    Vânia
    Lolly Taste



    ResponderExcluir
  40. Não sei se tenho estômago pra ler um livro tão forte assim. Mas o modo como você fez a resenha foi maravilhoso. Parabéns!

    ResponderExcluir
  41. Oie, tudo bem? Ainda não conhecia o livro, mas acredito que o enredo é um tanto pesado e denso para ficar vários dias acompanhando a leitura, imagino o porque terminou tão rápido. Se nos dias de hoje essa situação é complicada e difícil com todas as informações que temos imagina só nos anos 50. Gostei muito da resenha, deve ter sido complicado escrevê-la. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  42. Olá,

    A premissa desse livro já é angustiante, imagine lê-lo. Não conhecia esse livro, mas concordo com você que é um tema recorrente e que precisa ganhar ainda mais destaque, pois é algo que acontece a todo momento, em vários lugares. Não sei se tenho psicológico para fazer essa leitura por agora, mas espero fazer essa leitura um dia.

    ResponderExcluir