Pensamentos | Conselhos que eu daria para o meu "eu" de 2.016

Oi, gente!
Achei essa ideia de post muito interessante e resolvi fazer.

A gente sofre tanta por bobagem, né? E desiste de tanta coisa que poderia estar tendo resultados agora... Então, aí vai uma lista de conselhos que eu me daria no começo de 2016 e que teria evitado um tantão de outras coisas (serve para ficar mais atenta para 2017 também)

Sério que você vai demorar um mês pra dar um basta nessa amizade?
Para de ser boba. Esse mês só vai te desgastar ainda mais. O mínimo de consideração que você poderia ter vai acabar. E viu, não vai ser difícil se afastar não, no meio do ano você vai sequer se lembrar da existência desse ser.

Respira fundo antes dessa briga.
Fran, o boy te ama. E você sabe! Porque brigar com ele por coisas tão bobas?
O relacionamento de vocês não precisa se desgastar por esse tipo de acontecimento. Mas...

...Não gostou, fala sem medo.
Para de guardar o que você acha mancada dentro do seu coração. Não gostou de alguma atitude? Fala na hora. Não deixa pra depois. Mas não precisa começar um briga. Só fala.
É difícil né? Mas até o final do ano você vai ver como vai estar sabendo lidar com essas situações e como isso vai ter melhorado o seu relacionamento.

Coloque em pratica os conselhos que dá para suas amigas.
Eu sei que pra você é muito mais fácil das os conselhos. Que geralmente seus conselhos realmente resolvem os problemas das amigas. Então, que tal começar a praticar? Vai evitar um tantão de dores de cabeça.

Pare de pegar os problemas e energias ruins dos outros para você.
Você NÃO precisa ouvir o problema dos outros. NÃO precisa.
Menos ainda resolver o problema dos outros. Várias vezes durante o ano você vai perceber que quando é você que precisa de ajuda ninguém se aprofunda tanto quanto você. Então, para!

Seja mais firme com as pessoas quando achar que deve.
Você não precisa agradar todo mundo 100% das vezes. Sei que isso é algo que te deixa feliz: deixar outras pessoas satisfeitas. Mas quando decidir por algo, não deixe margem para as outras pessoas acharem que podem mudar essa decisão apenas porque não concordam.

Porque você parou de se exercitar?
Nem preciso comentar que você vai engordar pelo menos 5kg dos 10kg que perdeu até junho né?

Pare de se privar e de privar aos outros.
Não é porque você não faz que as outras pessoas também não devam fazer.
Depois que você finalmente entender isso, sua vida vai ficar bem mais leve.


O que você diria para o seu eu deste ano? Ainda dá tempo!
Até breve,
Fran Scandolara


UNITED BLOGS

Minimalismo | 2017: meu ano minimalista

Oi, gente!


É incrível como nossa forma de pensar e enxergar o mundo muda quando entendemos o que significa o mundo minimalista.
Veja bem, é diferente saber o que significa e entender o que significa.
Saber todos nós em um momento ou outra da vida acabamos por saber o que é o minimalismo. Mas, ainda apenas alguns de nós realmente descobrimos o significado deste mundo e todos os seus benefícios.

O minimalismo nada mais é que uma forma de auto-descobrimento, ou como prefiro dizer auto-despertamento. É o despertar para si mesmo e para o mundo e sociedade que nos cerca.

Entender que o suficiente basta e que tudo que é levado ao exagero nos faz mal, inclusive o minimalismo.
Não sou a favor de extremos, acredito que para tudo na vida existe o meio-termo ou o termo que mais condiz com nossos objetivos.

E porque 2017 será meu ano minimalista?
Entendi a pouco tempo o que esse universo significa e a cada dia que passa a ânsia de me livrar do que não me completa é cada vez maior.
Assim, para 2017 tenho como meta ser feliz, ser suficiente, ser completa, e para isso desdobrei a meta principal em pequenas metas:
- Pensar de forma simples: pensamentos claros, objetivos, com foco em decisões.
- Continuar a pratica do desapego: apesar de já estar fazendo isso nesse final de ano (logo tem post aqui), acredito que o desapego seja constante, pois como as fases da vida mudam, o que me faz feliz hoje pode não me fazer daqui alguns meses.
*O desapego vale para objetos e pessoas.
- Vivenciar mais experiências: viajar, um jantar entre amigos...
- Me alimentar apenas com o suficiente / me exercitar todos os dias: desculpem, eu sou gorda. Não me acho feia, nem nada disso. Mas também sei que não sou tão bem resolvida quanto gostaria e que isso interfere muito. Quero uma saúde melhor, física e psicológica, e acredito que esse objetivo esteja bem aliado ao caminho.

E vocês? Quais são suas metas para o ano novo?

Até breve,
Fran Scandolara

Série | 3%

Oi, gente!
Alguns dias atrás meu irmão chegou em mim e disse a seguinte frase:
"Quero ver os gringos tendo que assistir série dublada..."
Ele estava falando sobre a série 3% da Netflix, que é brasileira e segundo ele e mais 1000 amigos do meu facebook era muito boa.
Não prestei muita atenção na época, porque sou dessas, e acabei esquecendo.
Eis que na 5ª feira passada resolvi assistir um episódio pra ver como era e o que eu achei? Assisti a temporada inteira em dois dias, rs...



Se você já assistiu jogos vorazes vai perceber uma relação bem sutil.
A história é a seguinte: em um futuro, talvez pós-apocalíptico, as pessoas vivem em um planeta devastado. O Continente, como eles chamam, é uma região do Brasil bastante miserável, decadente e totalmente sem recursos. Os jovens ao atingirem a idade de 20 anos, tem direito a oportunidade de passar pelo Processo para tentar uma vida melhor no Mar Alto.
O Processo é uma seleção, bastante rigorosa, com provas morais, psicológicas e físicas, que testam os candidatos em diversas situação, para definir quais deles são bons os suficientes para ir para o lado de lá. Porém, apenas 3% dos candidatos chegarão até lá.

Os episódios da primeira temporada mostram desde o início do Processo até o final com os 3% selecionados. São diversas provas, temas polêmicos, esclarecimentos de atos por meio do passado dos personagens. A segunda temporada já foi confirmada pela Netflix.

São apenas 9 episódios de cerca de 45 minutos cada. Fica minha dica para aquele tempo livre do final do ano.

Até breve,
Fran Scandolara

Viagem | Dicas Beto Carrero

Oi, gente!
Pensando em levar as crianças para fazer algo diferente? Querendo se divertir? Que tal ir para o Beto Carrero?


Fui pra lá em maio de 2.015. 
Se liga nas dicas e informações:
  • Atualmente o Beto Carrero World é o maior e mais completo parque temático da América Latina.
  • O parque fica no município de Penha, no litoral de Santa Catarina - apenas 35km de distância de Balneário Camboriú.
  • Sobre o funcionamento: 
    • Novembro a Fevereiro, Julho e feriados nacionais - diariamente.
    • Março a Junho, Agosto e Setembro - de quinta a domingo e feriados nacionais.
    • Outubro - de quarta a domingo e feriados nacionais.
  •  A bilheteria do parque abre às 08:30h. O parque (brinquedos, zoológicos, shows e atrações em geral) funciona das 09h às 18h. Às 19:30h acontece o encerramento geral.
  •  Qual o tempo ideal para aproveitar o parque? Para conhecer e curtir todas (ou quase todas) as atrações com mais tranquilidade, o ideal é no mínimo dois dias de visita ao parque. São muitos shows legais e além disso, se você for ficar nas filas das montanhas-russas pode se preparar para algumas horinhas de fila, especialmente no final de semana.
  • O parque funciona em dias de chuva? Sim. o funcionamento continua normal, mas em caso de chuvas e ventos fortes algumas atrações podem parar temporariamente. O parque oferece muitas atrações cobertas.
  • Posso entrar com alimentos no parque? Não... Além de eles oferecem alimentação (paga a parte) lá dentro - 34 pontos, sendo 23 lanchonetes e 11 restaurantes, como não tem como saberem a origem do preparo dos alimentos e também por recomendação e fiscalização da vigilância sanitária, eles restringem o acesso ao parque portando alimentos de fora. Também tem o fato de como as pessoas passam muitas horas lá dentro, não tem onde armazenar os alimentos.
  • Posso sair do parque e voltar depois? Sim. Mas será necessário retirar uma saída provisória no guarda-volumes e o seu retorno poderá acontecer em até 20 minutos.
  •  O parque possui estacionamento? Quais os valores? Sim, o estacionamento fica em frente ao Castelo das Nações. A diárias para carros de passeio é de R$ 45,00, para motos é de R$ 25,00.
  •  Preços médios dos passaportes em 2016:
    • Para pessoas a partir de 60 anos é concedido o desconto de meia-entrada sobre o valor integral que é de R$ 140,00. 
    • Até 03 anos e 11 meses as crianças não pagam o passaporte, mediante comprovação com certidão de nascimento original.
    • A partir de 04 anos, é necessário adquirir um passaporte.
    •  1 dia:
      • De 04 a 09 anos: R$ 125,00 nas bilheterias e R$ 105,00 antecipado.
      • De 10 a 59 anos: R$ 135,00 nas bilheterias e R$ 115,00 antecipado.
      • A partir de 60 anos: R$ 70,00 nas bilheterias e R$ 70,00 antecipado.
    • 2 dias:
      • De 04 a 09 anos: R$ 210,00 nas bilheterias e R$ 190,00 antecipado.
      • De 10 a 59 anos: R$ 220,00 nas bilheterias e R$ 200,00 antecipado.
      • A partir de 60 anos: R$ 140,00 nas bilheterias e R$ 140,00 antecipado.
  • Aniversariante paga entrada? NÃO!! <3 Em dias de parque aberto os aniversariantes não pagam o passaporte de acesso ao Parque, mediante a apresentação de identidade com foto original. A certidão de nascimento original somente será aceito como comprovante, para até 12 anos. Em dias de parque fechado, o aniversariante poderá ir no dia anterior ou posterior do aniversário em que o Parque esteja funcionando.
  • Alguns brinquedos e atrações são pagas à parte, como por exemplo: Show Excalibur com almoço, Portal da Escuridão, Kart, games, souvenirs, alimentação, etc. 
  • Alguns brinquedos possuem restrições de altura, crianças sentadas no colo, pessoas cardíacas, com fobias, problemas de pressão e circulação sanguínea... Então é importante checar na entrada do brinquedo.
  •  Para que serve o Fast Pass? É um serviço de acesso rápido, um fura fila, às atrações mais procuradas pelos visitantes. Você paga e recebe uma pulseira individual e intransferível, a média de preço é de R$95,00 e tem direito a 16 acessos nas principais atrações: Fire Whip, Big Tower, Star Mountain, Betinho Carrero 4D, Crazy River, DinoMagic, Raskapuska e Freefall, sendo 2 acessos por brinquedo.
    • Para pessoas com mais de 60 anos não é necessário a compra do Fast Pass, pois já possuem preferência nas filas do brinquedos.
    • Para menores de 1,20m acompanhados de um responsável com a pulseira do Fast Pass, não é necessário adquirir este produto.

  Programação de shows: 
11h - Velozes e Furiosos Shows
12h: Excalibur (pago a parte)
13h: Madagascar Circus Show
13h30 às 15h30: Monga (apresentações de 15 minutos cada)
14h: Excalibur 2ª sessão (pago a parte)
16h: Blum
18h: O sonho do Cowboy
19h: Natal do Shrek (atração disponível até dia 19/02/2017)
19h30: Excalibur 3ª sessão (pago a parte)


Algumas informações foram complementadas através do site: www.betocarrero.com.br. Recomendo entrar lá para checar horários e dias de funcionamento.

Até breve,
Fran Scandolara


Eu e minha prima kkkkk <3

Gosta de posts sobre viagens? Veja esse também: Viagem dos Sonhos: Jericoacoara

Organização | Como manter o foco?

Oi, gente!
Sabe aquela dificuldade de manter o foco em alguma atividade? Pois é...

Quantas milhões de vezes estou realizando alguma atividade e surge do nada aquele ideia maravilhosa. O que eu faço? Começo inconscientemente a pesquisar sobre o assunto e quando vejo aquela atividade lá do começo ficou lá, parada.
Pensando nisso, comecei a aplicar alguns métodos na minha rotina e por enquanto tem dado bons resultados.


  •  Listas: amo! Já era um hábito antigo, mas percebi o quanto elas são fundamentais para melhorar minha organização e por consequência minha produtividade. No final da noite ou logo pela manhã, faça uma lista de coisas que você gostaria/precisa fazer em casa, no trabalho, etc. É maravilhoso ir olhando a lista e ver que está cumprindo tudo o que precisa.
  • Infelizmente não conseguimos fazer tudo de uma vez. Não adianta tentar abraçar o mundo... Ao perceber que não vai dar conta, o único sentimento que vai restar é o de frustração. Seja realista com seus horários e desempenho em cada função. Não se comprometa com muitas coisas ao mesmo tempo, você acabará sobrecarregado.
  • Mais uma vez aqui no blog: estabeleça prioridades. Não adianta, isso é necessário. As prioridades fazer com que a gente saiba o que precisa ser feito primeiro e com mais atenção, e é extremamente necessário pensarmos nisso. Para alcançarmos nossas metas, infelizmente teremos que abrir mão de algumas outras coisas pelo caminho. Sabendo quais são nossas prioridades, essas decisões se tornam menos difíceis.
  • Saiba isolar suas preocupações. Sabe aquele problema que não foi resolvido lá em casa? Então, se ele não pode ser resolvido no momento, não adianta ficar pensando nele enquanto está fazendo algo no trabalho. Precisamos aprender a isolar as preocupações. Quanto antes terminarmos o que estamos fazendo agora, mais cedo poderemos resolver os outros problemas. Uma preocupação de cada vez.

Resumindo, planejamento é a chave para que consigamos manter o foco no que precisa ser realizado.
É aquele lema: um passo de cada vez.

Até breve,
Fran Scandolara




Minimalismo | Moda x estilo de vida

Oi, gente!

Quantas vezes, antes de me aprofundar no assunto e me descobrir no minimalismo, eu estereotipei as pessoas que possuem o estilo de vida minimalista como pessoas que só tem poucas peças de roupa, poucos móveis e decoração em casa...E garanto que muita gente ainda o faz.


É necessário abrirmos nossa mente e coração para entendermos que o minimalismo não se limita ao fato de ter pouco, mas sim em viver com o que nos é essencial. Uma pessoa minimalista não precisa necessariamente se vestir de forma minimalista ou morar em uma casa com decoração minimalista.
O minimalismo quando voltado apenas para a moda, reflete uma moda simples, básica, com principalmente cores neutras. Menos é sempre mais.
Contudo, o estilo de vida minimalista ultrapassa a barreira da moda. Ele se aplica a todas as áreas de nossas vidas. Relacionamentos, hábitos de consumo, modo de pensar, e todas as outras áreas que possamos imaginar.
Esse estilo de vida nos faz refletir sobre nossos valores, quais são nossos objetivos de vida, nosso auto conhecimento... Não é simplesmente pensar que menos é mais e sairmos destralhando tudo apenas por destralhar, mas para chegar em um nível da vida, em que só tenhamos ao nosso redor objetos, pessoas e situações, que nos façam felizes e que são essenciais para nossa felicidade. Aqui não é a quantidade que é levada em conta, mas sim a qualidade!

Qualidade do seu tempo livre, das pessoas com quem se relaciona, do seu ambiente de trabalho, da sua comida, da sua casa e até mesmo do seu guarda-roupa.

Garanto que uma vida mais leve não nos fará mal algum.

Até breve,
Fran Scandolara

Economizando | Quando o barato sai caro...

Oi, gente!
Esses dias estava pensando e cheguei a seguinte reflexão: O que é realmente economia no nosso bolso?



Não sei se também acontece com vocês, mas muuuuuuuitas vezes eu sinto dificuldade em identificar se um serviço ou produto vale o preço que estão cobrando realmente. Preços baixos ainda me encantam quando estou procurando algum produto. Acabo me deixando levar muitas vezes apenas pelo preço e comprando o que eu preciso, mas com pouca qualidade.
Cheguei a conclusão (que pra muitos de vocês vai ser bem óbvia) de que economizar sem critério pode me fazer perder mais dinheiro.
Estou procurando evitar cometer esse erro e em partes já consegui, se considerarmos que antes eu comprava por impulso coisas que estavam em promoção. Agora a dificuldade é outra: eu sei o que eu preciso, porém me deixo levar pelo preço, sem prestar tanta atenção na qualidade.
Tenho essa péssima mania com roupas. Às vezes vou pelo preço, mas a peça não dura nada. Sendo que se eu investisse um pouquinho mais de dinheiro, teria uma peça que a longo prazo valeria o valor pago.

Pesquisando na nossa querida internet, encontrei exemplos de quando o barato pode nos sair caro:

  1. Comprar produtos de baixa qualidade - é basicamente sobre o que eu falei das roupas, rs. É importante observar quanto tempo o objeto vai durar. Ter que comprar 4x o mesmo produto no ano, sendo que poderia ter comprado 1 que duraria o ano inteiro, não é nada vantajoso...
  2. Comprar sem usar - produtos em liquidação que já possui vários em casa, roupas de tamanho diferentes do seu pensando em emagrecer ou ajustar depois... Dinheiro jogado fora.
  3. Não fazer manutenção da casa ou do carro - geralmente fazer aquela "gambiarra temporária" só aumenta os prejuízos no futuro.
  4. Fechar pacotes anuais - a menos que você tenha certeza que vai utilizar, esse é um bom exemplo de dinheiro jogado fora. Fica aqui o exemplo do pacote anual da academia. Aquele que você acaba indo apenas três meses...
Esse post é mais para trazer essa reflexão e saber como vocês lidam com esse assunto... Até que ponto vale economizar? O que realmente vale a pena ser comprado por um preço mais baixo? E por um preço mais alto?

Help! kkk

Até breve,
Fran Scandolara

Livro | Marie Kondo - Em primeiro lugar, descarte!

Oi, gente!
3º post da série sobre o livro A Mágica da Arrumação da Marie Kondo.


Nessa parte do livro, a Marie nos convida a fazer a seguinte reflexão: Qual foi nossa motivação para decidir a organizar nossas coisas? Qual objetivo pretendemos atingir?
Chegou a hora de definirmos nossas metas. É importante, antes de começarmos a organização de fato, a visualizar qual o estilo de vida gostaríamos de ter e fazer algumas anotações. Depois de definir qual o estilo de vida pretendemos ter, devemos nos perguntar o por quê. E para cada resposta perguntar novamente "porquê"? Ela menciona para que façamos esse processo de 3 a 5 vezes.
No meu caso, quero adotar de forma mais concreta o estilo de vida minimalista.
- Desejo uma vida mais minimalista porque acredito que muitas coisas que tenho não são mais necessárias na minha vida.
Porque?
- Porque hoje acredito que só preciso ter o essencial.
Porque?
- Porque vivendo apenas com o essencial terei mais tempo para mim, para minha família e amigos.
Porque?
- Porque assim serei mais feliz.
Porque?
- Porque não perderei tempo com ambientes e objetos desnecessários.

O objetivo tanto do descarte quanto de ficar com objetos é basicamente ser feliz!
A Marie, nos ensina a pensar da seguinte maneira durante o descarte: "Isso me traz alegria?" - Se a resposta for afirmativa, guarde. Do contrário, "jogue" fora.

(Durante o livro ela fala muito sobre JOGAR FORA. Mas é importante saber interpretar... O jogar fora significa se desfazer. O ideal é sempre doar para quem precisa)

Ao contrário do que pensamos, no momento do descarte o mais importante é decidir o que MANTER e não o que jogar fora.
Antes de escolher o que manter, devemos reunir tudo o que se enquadra em um mesmo grupo em um único local. As pessoas, em sua maioria, não têm o cuidado de guardar coisas semelhantes em um só local. Por isso é importante reunir os objetos, para que saibamos qual a real quantidade de objetos semelhantes que possuímos.

Nós guardamos nossos pertences por três fatores, além do valor material:
  • Funcionalidade: algo que ainda pode ser utilizado.
  • Informações: algo que tenha informações úteis.
  • Laços afetivos: algo que tenha valor sentimental.
Quando tais coisas são difíceis de encontrar (valor de raridade), torna-se ainda mais difícil abrir mão delas.
Baseada nesses fatores, ela diz que a melhor sequência para iniciarmos o descarte é: roupas, livros, papelada, itens variados (que ela chama de Komono) e itens de apego emocional.
Se tivermos muitos itens da mesma categoria, podemos criar subcategorias. Por exemplo:
Roupas - casasos, calças, shorts, etc...

Quando surgir algo que seja difícil de descartar, em primeiro lugar precisamos procurar entender o motivo pelo qual temos esse objeto. No final do processo, restarão apenas as coisas que são valiosas em nossas vidas.

Algumas dicas importantes que aprendi com essa parte do livro:
  • Não deixe sua família ver o que está sendo descartado, não há necessidade disso. 
    • Realmente, de todas as vezes que eu comecei alguma organização na minha casa e pedi para minha mãe doar alguma coisa para alguém, raramente ela o fez. Sempre arrumava algum motivo para que eu não me desfizesse do item.
  • Não arrume ou descarte o que não te pertence. 
    • O que você considera desnecessário, pode ser necessário para outras pessoas. Comece organizando os seus pertences e logo vai perceber uma reação em cadeia.
  • Se você não precisa de algo, sua família também não precisa.
    • De nada adianta você descartar algo lá no quarto do seu irmão ou da sua mãe. A menos que eles te peçam e estejam precisando do item, o mais certo a fazer é tirar o item de dentro da sua casa.
  • A mania de apontar falhas na organização dos outros, normalmente é um sinal de que seu próprio sistema de organização precisa de ajustes.
    • Nisso eu sou craque, rs. Sabe quando sua vida tá um caos, você não sabe por onde começar e nesse meio tempo começa a criticar as atitudes dos outros? Pois bem, sempre é importante começar a mudança por nós mesmos. Isso vale para tudo na nossa vida.

 Na próxima quinta-feira, vou postar para vocês o resultado dos meus descartes.

Até breve,
Fran Scandolara


Viagem | Profissão Consultora de Viagens

Oi, gente!
Acredito que nunca tenha falado aqui no blog, mas sou Consultora de Viagens e atuo no mercado de trabalho.
Muitas pessoas pensam que essa profissão é puro glamour, muitas viagens de graça, muitos eventos, rs #sqn

Resolvi escrever esse post, para dar algumas dicas para quem pretende ingressar nesse mundo do turismo.
Um consultor de viagens nada mais é que o velho agente de viagens, porém com a globalização e a internet a toda, precisamos nos reinventar e passarmos de mero vendedores para consultores, profissionais que conhecem os destinos e sabem identificar quais os desejos e possibilidades dos clientes.
A partir dessa identificação, o consultor pode apresentar ao cliente os destinos mais adequados, bem como o que fazer, onde comer, dicas sobre as particularidades da região, entre muitas outras informações.

Preciso ter faculdade?
Não, infelizmente não. É claro que a faculdade de Turismo é um diferencial (Eu, por exemplo, sou turismóloga formada e aprendi muito com a faculdade), porém se o funcionário for esforçado aprende em poucos meses a rotina de trabalho de uma agência e toda a terminologia envolvida.

Preciso falar inglês?
Também é um diferencial. Mas se souber o básico da língua já é o suficiente, visto que na grande maioria das vezes quem faz o contato com os hotéis, receptivos, etc é a operadora de turismo e não você.

Vou viajar o mundo de graça?
Bem que eu gostaria kkk Mas não vai, muito menos de graça. Algumas vezes durante o ano aparecem alguns famturs (viagens custeadas pelas operadoras de turismo, com o objetivo de levar os consultores de viagens inloco para que conheçam melhor os hotéis e atrativos do destino). Mas, você ser convidado ou não vai depender de alguns fatores: tamanho da agência, representatividade de vendas com a operadora, e, principalmente se seu chefe vai liberar alguma para você ir.

A rotina de trabalho é igual a de um escritório?
Sim e não. Você basicamente vai trabalhar com o computador e o telefone o dia inteiro. Mas as tarefas são dinâmicas. É importante gostar de ter contato com as pessoas. Você vai cotar viagens desde o interior do seu estado até para a China, no mesmo dia.

Qual a média salarial?
Também vai depender do tamanho da agência, da cidade... A maioria das agências trabalha com um salário fixo + comissão sobre suas vendas. Algumas estabelecem uma meta inicial para depois começar a pagar comissão. É bem variável de uma região para outra. Mas dentro do meu círculo de amigos consultores, a média salarial é de R$ 1.200,00 + comissões (que variam muito!).

Vocês tem alguma dúvida? Podem me mandar nos comentários!
Se quiserem alguma cotação também kkk

Até breve,
Fran Scandolara



Organização | Chega de procrastinar!

Oi, gente!
Sabe aquela mania de ficar deixando as coisas para depois? Pois, é... Eu sofro disso. E acredito que muitos de vocês ao lerem esse post também vão se identificar.



Procrastinar é o ato de adiar algo ou prolongar uma situação para ser resolvida depois.
Ou seja, dar desculpas para si mesmo para não resolver algo no momento. Por exemplo: "Ah, hoje não vou ligar no escritório resolver essa pendência porque tenho muita coisa pra fazer..." ou então: "Ah, eu faço isso rapidinho, mas depois..."
Já fiz isso diversas vezes, porém a cada dia que passo vejo como esse tipo de atitude me atrapalha. Não gosto de trabalhar/funcionar sob pressão, mas quando você fica procrastinando é o que acaba acontecendo no final: resolver tudo na última hora. O verdadeiro ou vai ou racha.
Pensando nisso, percebi que o problema no fundo desse tipo de atitude é a falta de prioridade (Já falei sobre como é importante priorizar as atividades no post 'Como ter um dia mais produtivo?')
E, realmente, isso é um fato! Se não definimos nossas prioridades, acabamos rodando em círculos e não saindo do lugar. E no fundo, todos nós temos nossas prioridades, mesmo que nunca tenhamos parado para avaliá-las. Elas podem ser de forma abrangente: seu relacionamento, sua carreira, seus estudos, seu carro, sua vida financeira, sua casa... Mas com tantas possibilidades fica bem difícil conciliar tudo.

A ideia a ser colocada em pratica é não focar apenas em uma atividade e esquecer todas as outras, mas sim dividir o seu tempo de uma maneira que todas tenham suas demandas atendidas. Para isso, aos poucos estou reeducando minha mente.
A primeira coisa que faço é colocar na cabeça que preciso realizar tal atividade - por mais difícil, chata ou estressante que ela seja - não podendo deitar para outro dia. Desde que comecei, percebi que muitas vezes termino a atividade antes do tempo que pensei que ela levaria.
Outro ponto que tem me ajudado é fazer a famosa checklist do que preciso fazer. Parece perda de tempo, colocar no papel (ou no celular, computador, onde for) o que precisamos fazer, mas na verdade, é uma ferramenta que otimiza nosso tempo. O que coloco na lista basicamente é:

O que preciso fazer? >>>> Quando preciso fazer?

E me esforçar para não deixar nada que está na lista passar do prazo.
Experimentem e vejam como isso é satisfatório, ir checando a lista e vendo que conseguiu realizar tudo o que precisava.

Sabe aquela velha frase: "Porque fazer hoje o que posso fazer amanhã"? Pois, bem. Vamos mudar o lema para: "Faça hoje e amanhã você estará de folga".

Até breve,
Fran Scandolara

Minimalismo | Presentes e minimalismo

Oi, gente!
É só pra mim ou o ano passou voando pra todo mundo?
Já estamos quase no Natal mais uma vez e com aquela velha questão de "ter" que dar presentes...


Antes mesmo de me interessar pelo mundo minimalista, sempre procurei dar presentes úteis para as pessoas. Mas, depois que comecei a praticar o minimalismo, isso ficou cada vez mais evidente. Eu ainda amo dar e receber presentes, mas gosto de utilidade. Quantas vezes recebemos aquela lembrancinha e ficamos pensando para que vamos usar? Ou então, onde vou colocar isso na minha casa? É tão ruim... Então, porque fazer isso com as pessoas que presenteamos?
O minimalismo nos ensina a ficar somente com as coisas materiais que nos trazem alegria e tenham utilidade em nossas vidas. Muitas vezes, melhor do que presentear alguém em datas comemorativas é encontrar aquele presente que é a cara da pessoa e presentear, mesmo que em uma data qualquer. Qualquer dia é um bom dia para demonstrar que você se importa com alguém.
Mas, se você faz questão de dar algum presente em datas festivas, vou sugerir algumas opções, que acredito que sejam interessantes e que eu ficaria feliz em receber. A ideia principal é presentear com experiências, não com objetos.

  • Vale massagem
  • Passagens de avião
  • Vale jantar (naquele restaurante que a pessoa ama ou até mesmo um jantar feito por você)
  • Ingresso de show
  • Comidinhas feitas por você
  • Presentes feitos por você (que tenham a cara da pessoa)

Isso são coisas que podemos fazer com as pessoas. São experiências que demonstram que nos importamos com elas. Se você tem intimidade com a pessoa, vale perguntar diretamente o que ela está precisando e assim dar um presente que seja útil para ela.
 
E como deixar claro aos nossos amigos que não queremos ganhar lembrancinhas pra deixar no fundo da gaveta? Acredito que a melhor maneira é deixar claro para eles que não precisamos de mais nada material, ou então, que precisamos de coisas x, y, z, deixar especificado.

O mais importante: não espere por datas especiais para demonstrar que você se importa com alguém.
Mostre para os seus amigos que prefere experiências, presença no lugar de presentes materiais.
Essas atitudes permitem que você estreite sua relação com as pessoas que são importantes para você e que você leve uma vida com mais significado.

Até breve,
Fran Scandolara

Economizando | Dicas para reduzir gastos

Oi, gente!
Hoje o post é com algumas dicas para reduzir gastos. Acho que todo mundo sempre quer achar uma fórmula mágica, né? Rs Eu ainda não encontrei, mas com essas alternativas consegui avançar um pouquinho.
Vamos lá:

* Tenha um objetivo para essa redução de gastos: acho importante encontrar um motivo para guardar dinheiro. Seja aquela viagem dos sonhos, um carro, uma casa. Encontre algo que quando você pense em gastar impulsivamente lembre do motivo pelo qual está economizando!

* Evite hábitos que estimulem a vontade de gastar. Aqui na minha cidade não tem shopping, mas esse é um lugar com certeza a ser evitado, a menos que você tenha que ir. No meu caso, o principal hábito a ser evitado, é ficar passeando pelas lojas online, vendo e-mails com "promoções incríveis", etc. Sabe aquilo que você sempre faz e sempre acaba perdendo dinheiro? Então, repense antes de fazer.

* Aproveite ao máximo suas roupas e acessórios. Não, você não precisa sair na rua com roupa furada, nem nada disso. A questão aqui é ir além nos seus looks... Eu, por exemplo, tenho costume de usar sempre as mesmas combinações e por isso acabo sempre achando que não tenho roupa, quando na verdade não tenho peças que combinam entre si ou que eu saiba combinar. Tire um tempinho da sua semana para pensar em combinações diferentes para as peças de sempre.


* Procure deixar o cartão de crédito em casa ou fora do seu alcance. Às vezes encontramos aquela promoção, seja online ou em lojas físicas, e se estamos com o cartão de crédito a mão fica muito mais fácil e rápido de efetuar a compra. Com o cartão fora de alcance, você acaba tendo mais tempo para pensar na compra do produto.

Essas são algumas dicas que estou aplicando na minha rotina e aos poucos transformando meus hábitos de consumo.
Espero que alguma delas ajude você também.

Até breve,
Fran Scandolara

Livro | Marie Kondo - A Mágica da Arrumação - Porque não consigo manter minha casa organizada?

Oi, gente!
Vamos então ao segundo post desta série sobre o livro A mágica da arruamção da Marie Kondo.

Durante o livro a autora nos faz refletir sobre várias questões. Ela cita, por exemplo:
"Alimentação, roupas e abrigo são necessidades humanas básicas, então o aspecto do lugar onde moramos deveria ser considerado tão importante quanto o que comemos ou vestimos."
 A partir desse ponto, começamos a pensar quantas vezes deixamos nosso lar, nosso espaço de descanso e ambiente familiar, se transformar em um caos por não conseguirmos organizá-lo de maneira prática e eficiente... Arrumamos tudo em um dia e no outro parece que nosso esforço foi em vão.
Entretanto, a desorganização da casa não demonstra a falta de habilidade para organização. Na maioria das vezes a desorganização serve para nos distrair do verdadeiro motivo da desordem. Problemas financeiros, de auto-estima, com a família... É como se a bagunça fosse uma bolha imaginária que te separa desses problemas e tira sua atenção, pelo menos temporariamente, do que você realmente deveria estar preocupado.

E quando pensamos que estamos organizando a casa, estamos apenas guardando as coisas, sem pensar muito sobre elas. Organizar, segundo o método KonMari, envolve basicamente duas ações: decidir se vai ou não jogar algo fora, e depois definir onde guardá-lo.
Por isso a importância de separar os itens por categorias e não por localização. É a maneira mais eficiente de descobrir quantas coisas temos e se realmente precisamos de todas elas.

O próximo post tratará sobre as categorias e a ordem ideal para começar o descarte.

Até breve,
Fran Scandolara